Stereolab

 

 

stereolab3.jpg

Stereolab é um grupo musical franco-britânico cujo estilo é uma mistura de pop e lounge dos anos 50-60 com ritmos emprestados do krautrock, da música brasileira, da eletrônica e de uma miríade de outras influências.O grupo foi fundado em 1990 pelo compositor inglês Tim Gane (guitarra, teclados) e a artista francesa Lætitia Sadier (canto, teclados, guitarra, trombone), que escreve e canta em francês e inglês.São conhecidos pelo uso de sintetizadores Moog e órgãos Vox e Farfisa. Ganharam pelos fãs o apelido carinhoso de “The Groop”, que aparece no título de uma música do álbum “Space Age Batchelor Pad Music”: “The Groop Play Chord X”.

Lætitia Sadier e Tim Gane se conhecem nos anos 80, durante um concerto do grupo londrino McCarthy, do qual Gane era líder. Uma relação amorosa e musical começa, resultando no Stereolab quando McCarthy se separa no começo dos anos 90. Eles vendem suas primeiras gravações principalmente por correspondência e em lojas especializadas (Rough Trade, New Rose etc) até que o primeiro album, Peng!, é lançado em 1992.

Com o passar dos anos, Gane e Sadier receberam a companhia de um grande número de outros músicos para acompanhá-los nos palcos e gravações. A primeira formação incluiu Martin Kean no baixo e Joe Dilworth na percussão, com Russel Yates e Mick Conroy também aparecendo em apresentações. Em 1993 foram recrutados Andy Ramsay (bateria) e Mary Hansen (voz, guitarra, teclados e percussão). A voz distintiva de Hansen se tornou um elemento importante no som dos Stereolab. A artista continuou membro da banda até sua morte em um acidente envolvendo sua bicicleta em Londres, em dezembro de 2002.A formação presente da banda consiste de Tim Gane, Lætitia Sadier, Andy Ramsay, Simon Johns, Dominic Jeffrey, Joseph Watson, e Joseph Walters.

Os primeiros materiais da banda apresentava uma grande influência de krautrock, particularmente Neu! e Faust, com uso de órgãos Farfisa distorcidos e riffs repetitivos na guitarra e nos teclados. Com o desenvolvimento da banda, foi incorporada uma nova instrumentação e um crescente senso de ritmo e estrutura, mostrando cada vez mais influência da MPB.

Muitas músicas dos Stereolab tratam de questões filosóficas e políticas, algumas vezes até em cenários surrealistas. As letras escritas por Sadier, em francês e inglês, são frequentemente sociológicas e se posicionam como um contraponto ao som que é particular à banda. Um exemplo é “Ping Pong”, do álbum “Mars Audiac Quintet”, que é uma alusão explícita às teorias marxistas sobre a relação entre os ciclos econômico e bélico. Os títulos evocam memórias de histórias de ficção científica dos anos 50, freqüentemente sendo “emprestados” directamente de velhos filmes e gravações da época.

 

  • Vodiak

Stereolab

 

Eneida

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s